FALCO


O austríaco Falco conquistou uma legião internacional de fãs com inúmeros hits, entre os quais “Der Kommissar” e “Rock Me, Amadeus”, permanecendo uma celebridade até à sua morte num acidente de carro na República Dominicana em 1998. 
Altamente extravagante, Falco cantava em alemão e apostava na força rítmica do idioma, sendo considerado por alguns um precursor do hiphop em alemão.

Kommentare

  1. Já tá tudo a dormir e os meus fones foram-se. Oiço amanhã. Boa?

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Quando se ouve "Der Kommissar" ou "Rock me, Amedeus"
      não temos vontade de dormir.

      Löschen
  2. Foi um sucesso brutal na época.
    Sempre tocado nas discotecas durante uns anos.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Que aqui tenha sido um sucesso brutal, não admira,
      mas em Macau.

      Löschen
    2. Teresa, acho que o Pedro não me leva a mal se eu te vier esclarecer uma coisa: na década de oitenta, quando estes temas do Falco foram um êxito badaladíssimo, o nosso amigo Pedro ainda vivia em Portugal.

      Löschen
  3. Saúdo Falco, assim:
    https://www.youtube.com/results?search_query=falco+amadeus

    AntwortenLöschen
  4. Txiiii... O que tu foste fazer...!! :))
    Foste remexer nas minhas recordações dos 17/18 anos em que eu era fã do extravagante Falco... da Nena (e dos seus "99 Luftbaloons")... da Nina Hagen... (esta era mesmo maluca!) :)
    Naquela altura nas nossas rádios aqui em Portugal ainda se ouvia música em alemão, francês, italiano, espanhol... (agora o inglês domina... e felizmente o português também já tem uma forte espressão).
    Mas voltando ao Falco, há uma música dele pela qual andei "apanhadinha da Silva" (lol) que era a JEANNY, recordas-te? Foi um tema que chegou a ser banido das rádios e até proibido de ser difundido devido à sua polémica letra, sendo interpretada como uma "glorificação" ou incitação ao rapto e violação, mostrando (e o videoclip mostrava isso bem) a perspectiva de um perseguidor. Letra à parte... a mística da música ainda hoje me "bate fundo" :))
    A morte prematura dele acabou por transformá-lo em mais um mito da música (apesar de não ter falecido com a idade fatídica dos 27 anos).

    Obrigada por me proporcionares este regresso ao meu passado musical
    Beijinhos memorialistas
    (^^)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Fiquei pasmada com o teu comentário, AFRODITE.
      Nunca pensei que o Falco, e muito menos a Nena, tivessem fãs em Portugal.
      Claro que me lembro da JEANNY, canção brutal, origem de grande polémica.

      Ando afastada da blogosfera até ao dia 24 de Agosto.

      Löschen
  5. Quando vi o título do post lembrei-me logo da segunda música referida no post

    AntwortenLöschen
  6. Antworten
    1. Penso mesmo, que o cantor austríaco Johann (Hans) Hölzel,
      não seja a sua praia, Carlos.

      Löschen
  7. A Clara (Afrodite) explicou tudo, Teresa - nessa época andava eu a abanar o capacete nas discotecas em Portugal.
    Macau nem uma miragem era.
    Dessa época, alemães, recordo bem Falco, Nena (não era grande fã de nenhum deles) e os que mais gostava - Kraftwerk e Nina Hagen.

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen